sábado, 7 de julho de 2018

Mantra da sobrevivência!

O ódio é a semente demente da morte a comer-nos por dentro,
o rancor tem raízes daninhas que secam aquilo que somos
e o que fomos para os outros!
Prefiro ser apenas uma lembrança doce,
um olhar terno,
o Inverno em que nevou!
Não anseio ficar para sempre no coração de alguém,
prefiro ser como a brisa que passa e abraça sem tocar...
Nunca estive à espera que me salvassem
e me trouxessem a Felicidade numa bandeja...
Nada do que sobeja dos outros nos pode completar,
a verdade é que não se procura aquilo que está ao alcance de todos!
As rugas que me esgravatam o rosto não me envergonham,
a beleza fugaz passou, a juventude partiu,
o tempo beijou-me demasiado depressa...
Só quero respirar fundo e apaixonar-me pelo mundo,
todos o dias,
um dia de cada vez!
Só quero abrir os olhos todas as manhãs e agradecer por ter tanta sorte,
todos os dias,
mesmo nos dias maus
porque podiam ser piores...
Só quero chorar e gritar para ficar cansada
e respirar, mais devagar, depois.
Não sou forte,
não sou valente,
não sou nada mais do que um recomeço constante,
teimosa o bastante para não desistir
de insistir que a vida vale a pena, sempre!

Sem comentários: