quarta-feira, 30 de agosto de 2017

2 moedas para o homem da barca...

Nada sei dos mistérios da morte,
não conheço as certezas da vida,
não entendo a linguagem dos anjos...
Mas sei que há uma mensagem escondida
nos lábios de quem ama e (se) perde,
um luto, sem campa, sem flores, sem corpo,
que não se mede em palavras.
Os pássaros voam uma vida inteira
mas morrem no chão a olhar o céu,
nós somos aves sem penas...
A solidão é uma espera, apenas,
um caixão encomendado,
uma mera urna,
a despedida do ser alado
e a admissão da mortalidade...
Desististe e morreste,
ou então morreste e desististe...
O tempo não é estanque ou importante,
 só o fim nos marca,
no fim,
quando chega o Homem da barca...






Sem comentários: