quinta-feira, 1 de junho de 2017

Crescimento(e)...

Os lábios são uma batuta ritmada por palavras
e a orquestra aguarda o mundo que se estende à minha volta!


Sei que estavas cansado de crescer, amor, quando me encontraste
e me falaste um pouco de ti...
Eu porém, nunca cresci!
Passamos a vida toda a correr para crescer,
eu porém, nunca corri por querer!
A meta é apenas morrer, nada mais...
Somos mais sábios quando somos crianças,
cheios de esperanças, cheios de sonhos, cheios.
E cada vez que crescemos esvaziamos qualquer coisa,
sempre.
Nada será mais completo do que os seios da nossa mãe,
nada será mais preenchido do que um colo,
nada será mais perfeito do que um primeiro sorriso...
O juízo é o mundo a castrar-nos a vida,
aquela consciência que nos protege de viver,
aquela mordaça que nos sussurra incapacidade...
A regra, o limite, o morrer devagarinho,
o não chorar, o depois, o não pode ser,
aprendemos a morrer.
Quando nascemos temos a liberdade de quem já o soube desaprender...




Sem comentários: