quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Rest In Peace...

O coração é uma coreografia de cegos a baterem dedos grossos numa tábua de madeira,
a evitarem os pregos enferrujados, espetados com os dentes para fora,
coordenados, compassados, desesperados a ouvir as imagens em sons...
O Amor é um caminho que se faz de olhos fechados, sem mãos à frente,
nas margens do raciocinio, sem pingo de sensatez,
numa estupidez deliciosa sequiosa por nos mostrar que a vida é dos tolos!
Nunca amei porque quis, mas sempre quis quem amei.
Sei que o Amor é uma glicose que nos transforma em neurose,
numa psicopatia de querer morrer e logo a seguir rir do fundo da alma,
nunca se acalma, nunca sossega, uma fúria cega que nos devora de dentro para fora!

Viver sem amar é fazer tudo bem, menos viver.


1 comentário:

Rogério Paulo Peixoto disse...

Viver sem amar é fazer tudo bem, menos viver.

O amor que se esbate aos prantos e corre, e flui e ...nada...ou tudo.

Ah o amor!