terça-feira, 31 de janeiro de 2017

O Homem que fazia nevar...

A névoa abraça-me num enlace molhado e terno,
um Inverno que me embala e se cala com os segredos das lágrimas doces...
Se tu fosses o Homem por detrás da neve leve que me toca
e morre na minha boca...
Há magia no gelo que se solta
e dança à minha volta como pássaros brancos despedaçados...
As penas da neve são emoções de ilusões roubadas,
soterradas pelo manto do pranto de cada amor perdido.
Há um pássaro que morre numa gaiola de cardos
por cada coração partido, sabias?
E há um homem a moldar o gelo,
num belo e mágico castelo
a chorar e a fazer nevar no mundo,
num profundo e triste silêncio,
porque sabe que o Amor morre um pouco todos os dias.



3 comentários:

Manno Marques disse...

Um poema de derreter a neve, de esvaziar o cérebro. Uma geleira inteira se esvai...é o amor o porto seguro !

Inês Dunas disse...

<3 Muito Obrigado Manno Marques
Beijinho em si!

Rogério Paulo Peixoto disse...

Muito bom ....:)