quarta-feira, 13 de julho de 2016

Carta Aberta aos Franceses que estão a envergonhar a França.

Podiam ter ganho no domingo, tenho a certeza que tinham a vossa festa preparada, o golpe foi duro, inesperado, desolador já nos sentimos assim quando perdemos com a Grécia.
Mas esperava mais do vosso povo, honestamente.
Sempre gostei dos franceses, acho-os simpáticos, educados e de bem com a vida.
Quando visitei Paris fiquei deliciada convosco, a vossa cordialidade surpreendeu-me!
Quando trabalhei na Expo 98' os franceses eram dos povos que até se comportavam melhor, pediam sempre para falarmos em Francês, claro, mas eram educados ao contrario de outros como os Alemães que eram sempre arrogantes, ou os espanhóis que ficavam coléricos.
Não gozei convosco por terem perdido, em 2004 senti o mesmo e acho que pisar quem está deprimido é vergonhoso.
Mas entristece-me que um jogo de futebol vos tenha arrancado para uma cor cinzenta que não enaltece a vossa bandeira, uma cor mesquinha e invejosa.
A França que eu admiro e da qual gosto teria chorado, obviamente, mas depois fazia a festa à mesma!
Teria metido as nossas cores na Torre Eiffel e a seguir meteria as vossas e as nossas a piscar à vez para provar que les Enfants de la patrie também estavam em festa, porque a festa era na vossa casa e tinham orgulho de ser franceses e de terem apresentado um Euro em segurança, esplendor e festa.
E nós, desta vez campeões Europeus, teríamos achado lindo e sentiríamos que tinha sido um lindo País para sairmos triunfantes, porque vocês eram um povo exemplar, abraçaríamos os azuis e brancos, como fez uma criança nossa, com verdadeira empatia e diríamos que a festa também era vossa.

Perderam um jogo no domingo, não perderam a dignidade.

Sem comentários: