quinta-feira, 27 de agosto de 2015

E se fosse em Portugal?

Milhares de refugiados Sírios batem, desesperadamente à nossa porta, às portas de uma Europa que se julga civilizada, democrática, solidária, evoluída…
São tratados como cães vadios, quando nem vadios deviam ser os cães…
Insultados, atacados, escorraçados quando a única coisa que querem é poder viver e que os seus vivam…

São emigrantes e nós, portugueses, somos também um povo de emigrantes, tantos nossos, com gentes suas, lá fora que ouço a dizer:
“Eles que voltem para o país deles que nós cá já temos muita miséria”

Não é obrigação, daqueles pais, procurar um futuro possível para os seus filhos?
Uma vida de paz com, alguma, dignidade?
Não queremos nós todos o mesmo para nós, para os nossos filhos?
Se cá houvesse guerra, só morte, fome e miséria não fugiríamos nós, com os nossos filhos pelas mãos?

São Sírios, mas podiam ser Portugueses. Franceses, Alemães…

 Não escolhemos o lugar onde nascemos e é muito cruel condenarem-nos a morrer só porque tivemos o azar de nascer no sítio errado.


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Para além da Morte...

Tacteio-te de olhos fechados,
o silencio dos teus olhos morde-me os pensamentos...
Os lamentos são canções que se ouvem ao longe,
mas hoje são os sonhos que mandam!
Agarraste a razão com mãos tremulas e envelhecidas,
nas partidas efémeras de cada lágrima mordida...
Tentaste, amaste, morreste...
Renasceste porém, numa esperança de criança inocente,
todos os dias, quando a madrugada governa a ilusão, tão terna...
Ninguém pertence a ninguém...
Porém o Amor faz-nos pertença, mesmo que não mereça...
Escreve-me, sonha-me, esquece-me e recorda-me,
uma vez, de cada vez, uma e outra vez...
Odeia-me e perdoa-me enquanto te lambo as feridas
e te escapo entre os dedos do destino que não nos destina...
Somos fado, loucura, medo, procura, sina que ensina a viver condenado,
somos prazer...
Amor a reinventar a dor em cada palavra escrava...
Fecha os olhos, deixa-me beijar-te, provar-te, amar-te, saciar-te
e deixar-te, antes que queira morrer nos teus braços.


domingo, 23 de agosto de 2015

Don't cry for me... (By: Tsipras... Peron)

Podem acusar Tsipras de muita coisa, mas que é inteligente é!

Aceitou um programa em que não acredita, frisando-o bem e que o aceitava contrariado, por falta de alternativas dos parceiros europeus (nomeadamente Portugal) que em vez de se concentrarem em encontrar soluções que servissem ambos os lados, só se focaram em tentar cilindrar a vontade (justa e compreensível) do povo grego.

Agora demite-se…

E ao fazê-lo trama estes nazis todos outra vez!!

Porque agora ou perde e ganha a parte do Syriza que não quer acatar esta porcaria de medidas (e ele também não quer e fica todo contente!) e  volta tudo atrás e Schauble tem um fanico e, se Deus quiser, tem um enfarte do miocárdio e morre…
 Ou volta a ganhar o Tsipras com poder renovado de negociação...


De qualquer forma eleições antecipadas na Grécia já farão tremer a economia global e, só por isto é possível que o próprio Schauble esteja a morder a língua e todos os países que tentaram encurralar a Grécia de Tsipras.

sábado, 22 de agosto de 2015

Duvidas, duvidas, duvidas...

Não sei se consigo votar no António Costa, não gosto do tipo…

Tem ar de cínico pedante, nada do que diz me convence, não faz o trabalho de casa, não se prepara bem nos debates e inventa números, só porque sim.
Tem ar daquele chefe indolente que tem a mania que é o maior, mas não sabe fazer nada e só dá ordens estúpidas…
Mas gosto da ideia do Mário Centeno como Ministro das Finanças, não podem meter a cara desse no boletim de voto só para a cruz ser-me menos penosa??!

Sei que não consigo votar no Passos Coelho!

 Até porque tenho pena do Homem ele deve estar desejoso que o mandato acabe, ele sabe que não nasceu para isto, ele gosta é de cantar.

Gosto muito mais de saber que se o PS ganhar o Paulo Portas será oposição.
O CDS isolado no governo definitivamente, não! Mas gosto do Paulo Portas como oposição, para contrabalançar um bocado as políticas “cá da malta” e sem estrutura séria nenhuma, parece-me bem.

Uma coligação PS-CDS seria uma vergonha política e um desrespeito total pelo povo português, mostraria, de forma demasiado evidente, que os políticos não têm honra, nem carácter, nem nada. (Nós sabemos que de facto estes adjectivos não vos dizem grande coisa, mas pelo menos disfarcem um bocadinho e poupem-nos a esta vergonha alheia…)

Simpatizo com a Joana Mortágua mas não consigo votar no Bloco de Esquerda.

 Só fazem anti-política, parecem os velhos no café a discutirem futebol e eu não sou grande fã de treinadores de bancada…

Não consigo votar no partido comunista mas gosto do velhote Jerónimo e acho que ele sofre mesmo com as injustiças sociais mas detesto o outro, o gordinho pedante que se chama Bernardino, claramente, queria pertencer ao PSD mas não o deixaram entrar então vingou-se e foi para ali… Faz lembrar aquele puto que bate nas raparigas porque as raparigas são bonitas e às escondidas mete o batom da mãe…

 Gostava muito de ter a Maria de Belém em Belém, simpatizo muito com a Sra. e não consigo evitar de desejar ter uma Mulher  como Presidente.

Gostava mais se fosse ela candidata a primeira ministra em vez do António Costa…
Por outro lado não gosto de ter o Governo e a Presidência da mesma cor partidária…E porque também gosto muito do Marcelo Rebelo de Sousa

Duvidas, duvidas, duvidas…

domingo, 9 de agosto de 2015

Hiroshima, Nagasaki e os outros desastres (os nossos...)

Já passaram 70 anos desde que caiu o Sol...

O ser humano às vezes de Humano nada tem e eu espero que já que não se pode mudar o passado, um Passado escabroso, vergonhoso e demasiado cruel que, infelizmente, ainda vive no Presente de muita gente e ainda se arrastará geneticamente pelo Futuro, que o mundo nunca esqueça, que ninguém se ouse esquecer de como a nossa espécie pode envergonhar e destruir o Mundo quando a vingança vale mais do que os direitos dos inocentes.
Hiroshima, Nagasaki, Chernobyl, Kosovo, Aushwitz, Birmânia, etc, etc, etc, quantas vidas caberão num misero etc?

Em que votarão os Portugueses quando as alternativas são:

1)Um partido completamente alheio das necessidades/realidade dos portugueses que nos brinda com austeridade severa e falhou todas as perspectivas que traçou em termos de retoma e cumprimento.

2) Um partido que tem tanto respeito pelos Portugueses que para não se dar ao trabalho de ter de falar com o povinho, onde podia de facto ter uma boa estratégia de campanha e usar relatos fidedignos e provavelmente muito mais impactantes , inventa histórias fictícias de cidadãos no desemprego, tira fotografias aos funcionários da câmara de Arroios e publica cartazes  a dizer que aquelas pessoas são o rosto do desemprego... (WTF???)

Ai que é desta que ganha o Chuck Norris...