quarta-feira, 8 de julho de 2015

Tem cancro mas já pode sair à rua...

O JN partilhou a noticia da primeira aparição pública, sem cabelo, de Laura Ferreira, mulher, mãe, fisioterapeuta e, também, esposa do pm Passos Coelho,numa visita oficial a Cabo Verde, país onde passou parte da sua infância, e à Guiné Bissau, a sua terra natal.
a noticia aqui 

Houve quem dissesse que o Passos Coelho estava a usar a doença da mulher para fazer campanha
Houve quem dissesse que era uma grande mulher por sair à rua, sem cabelo.
Houve quem dissesse que o JN devia ter vergonha de fazer disto noticia.
Houve quem dissesse que era importante a noticia para as outras mulheres que passam pelo mesmo tenham força.

O cancro existe, as mulheres/homens e familiares que lidam com isso não têm de falar baixinho, ou esconderem-se para não incomodarem os outros...
O cancro existe e provavelmente poderemos passar por isso e não é por nos afastarmos de quem tem, ou não falarmos disso que ele não nos toca.
Ser careca não é motivo de vergonha, nem de orgulho é apenas um efeito secundário do tratamento de uma doença, eu não gostava de ficar careca e seria doloroso lidar com isso, mas deve ser mais doloroso lidar com a realidade da doença e o medo dos outros que se afastam porque não nos querem encarar...
Eu fico feliz pela Laura Ferreira ter forças para sair de casa, eu fico feliz por qualquer pessoa que combata doenças, oncológicas ou não, tenham forças para sair de casa, para sorrir, para viver.

Todos nós vamos morrer um dia, de cancro, de trombose, com um vaso na cabeça que cai de uma varanda, seja do que for, é inevitável a morte.
Todos vamos morrer, todos (Até o Manoel de Oliveira).
Mas podemos viver todos os dias até lá, a Laura Ferreira também.

Sem comentários: