sábado, 25 de abril de 2015

Dias de sopro...

A respiração é um passo lento da sobrevivência,
resquício da resistência mordaz que me faz amar de coração fora do peito,
quando me deito e tento esquecer que o Amor não se esquece...
Adormece Amor, abraça a dor contínua e nua que embriaga os sonhos...
Foi Orfeu que ofereceu esta maldição que nos draga por dentro...
Lambe os teus lábios nos meus, tentação sofrida em ferida,
mesmo se à dor mentes sentes que jamais estarão dormentes
as batidas repetidas das almas que ousaram amar...
O ocaso é um acaso que se repete consciente,
Sim, a felicidade é mais do que nós os dois,
a vida é mais do que um Amor e a dor que o veste
mesmo quando nos despe do mundo!
Hoje as palavras falam mas jamais dirão tudo,
teremos sempre os nossos silêncios em dias de sopro...

1 comentário:

Rogério Paulo Peixoto disse...

Os teus jogos de palavras são já uma imagem de marca muito forte e sempre nos remetem para um raciocínio empírico daquilo que realmente não está presente.

tentação sofrida em ferida,

Amei demais este