quinta-feira, 26 de março de 2015

A rota da seda...


A pele é a seda onde o diabo veste o desejo,
não há caminho  mais longo que aquele que um gemido percorre entre a tua boca o o meu dedo que o silencia...

A noite é o silêncio, a dor e a procura,
a loucura escura de uma aurora conspurcada...
Ainda te amo, ainda te quero no nada que nos merece
e oferece redenção.
Sabes que uma vida tem desvidas demais
e torna o destino num sino de igreja...
Beija-me as mãos e sorve o meu cheiro, inteiro e castigado...
Fecha-me os olhos, devagar, desvia-te das lágrimas
que teimam em escorregar...
O teu rosto queima, o teu gosto sabe-me a desgosto.
Teima em tocares-te, alimentares-te de mim,
trocares as tuas mãos pela ilusão das minhas quando gemes baixinho...
E o coração trai, a tentação sai do peito
e transforma-se no meu leito!
O amor é o espaço crasso que nos ocupa e a desculpa...

1 comentário:

Rogério Paulo Peixoto disse...

BRUTAL.....

Para sempre escrito em fogo na própria alma:

"O teu rosto queima, o teu gosto sabe-me a desgosto.
Teima em tocares-te, alimentares-te de mim,
trocares as tuas mãos pela ilusão das minhas quando gemes baixinho..."

Lembrei-me de uma musica..."This girl is on fire..."