quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Era uma vez...

Existem lágrimas perdidas nos olhos de quem sonha...
Rasgos de amor, em lençóis subterrâneos, que tantas vezes inundam as palavras...
A saudade é sabermos que aprendemos a viver incompletos,
uma angustia bela que nos torna desertos dourados e inquietos
de areias em movimento...
E o nosso coração o momento registado numa ampulheta,
sempre em fuga, sempre ténue, sempre frágil,
a escorrer devagar e a recompor-se do outro lado, enquanto espera...
Era uma vez...
E o amor deixa de ser dor, resiste à saudade, torna-se memória de alguém...
Uma lenda floreada de princesas que ornamenta mentes românticas...
Passa a ser perfeito e impossível...
E abandona-nos.
Torna-se de todos, menos de nós, cheio de lições de vida
que terminam sempre bem..
E é feliz para sempre, porque o que é para sempre,
nunca pode ser de quem vive hoje.