terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Procrastinar...



Carrego o peso dos ponteiros,
cada avançar momentâneo de um tempo fugaz,
que me faz querer inalar tudo...

Amamos os amores de amanhã,
com a esperança contida de que a vida nos guarde!

Se o futuro souber esperar, juro amar ferozmente...

Mas se o Presente tropeça na promessa de um depois,
o que temos os dois, agora?
Há uma hora para parar de adiar tudo,
respirar fundo e saborear o momento,
cá dentro, no tempo que é nosso...

 Adiamos a felicidade com a mesma intensidade que odiamos fazê-lo...

Sem comentários: