terça-feira, 20 de agosto de 2013

Ainda se queimam bruxas na fogueira...

     Existe um apetite desmesurado pelo linchamento público, um sadismo voyeur que se satisfaz ao ver destruir outra pessoa... 

   Poderia dizer que é reflexo da sociedade actual, mas não, na verdade é a prova que "bad habits die hard", ou seja ainda não evoluímos grande coisa, é apenas uma maneira mais requintada de caçarmos, supostas, bruxas para as vermos arder lentamente na fogueira, sob pretextos de justiça...
Talvez a mesquinhez e a inveja sejam predicados intrinsecamente ligados à condição humana, mas na verdade gostamos de ver outras pessoas a cair em desgraça, claro que associamos esta satisfação, doentia, a um qualquer sentimento de protecção para com os mais fracos e oprimidos, para não encararmos a realidade que o espelho nos traz, adoramos chafurdar na vergonha alheia como porcos...
 Adoramos insurgir-nos contra alguém, sobretudo se esse alguém estiver sozinho e fragilizado, gritarmos todos em coro, apontarmos o dedo,crescermos exponencialmente face à pequenez do visado.
  Gostamos de os ouvir pedir desculpa, sentirmos na pele a sua humilhação, sabermos que causamos realmente diferença na vida daquela pessoa e que jamais esquecerá o momento e o enxovalho...
Então se forem pessoas que vivem (aparentemente) melhor do que nós, ate trememos de excitação, o frenesim é tão maravilhoso que é quase impossível parar...

 Foi isto que a Judite de Sousa sentiu ao entrevistar o Lorenzo...
E foi isso que todos sentimos a queima-la na fogueira da opinião pública, a seguir...


Sem comentários: