terça-feira, 4 de setembro de 2012

Perfume...

A vida é um caminho estreito onde cabe um mundo inteiro…
Desde o primeiro momento passamos o tempo a aprender
que pode sempre caber mais alguém…
Tenho em mim o espaço que cabe a cada laço,
a cada sopro, a cada sonho…
E um sentir imenso que torna intenso cada fôlego…
Nunca almejei ir além de mim mesma,
ou d’outra vida qualquer…
Porque tenho um universo escrito em verso
dentro de um invólucro singelo  e frágil…
É a mortalidade que nos permite viver e amar!
Só sabemos dar valor ao que se perde, ao que acaba,
Subestimamos a fragilidade da felicidade de forma mordaz,
até que se esfuma por entre o nossos dedos, e nos veste de dores,
de saudade, de loucura e de medos…
O amor é fugaz como a brisa que perfuma as flores,
dura apenas uma vida de procura…

Sem comentários: