quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Aliteração...

Desgasta-se o gasto de gostar do desgosto...
O sol é um barco à vela acordando e ancorando nas manhãs!
A melancolia é uma bela cheia de senãos, nas vãs lágrimas de quem partiu...
Há um sabor frio na boca rouca do amor,
um paladar ingrato a pão seco, sem dar fome ou saciedade...
A saudade bailou nos teus olhos, fez pliets, petit-bas e meias pontas...
Há um eco de despedida constante num sentir inconstante
e a vida lava a roupa suja num rio qualquer, sem saber fazer as pazes...
Já não se usa amar tanto...

Sem comentários: