quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Um grito de revolta...

Estou desesperançada...
Este país deprime-me, esta classe política revolta-me, esta sociedade causa-me vómitos...
Estou farta.
Só vejo asneira à minha volta...
Eu sempre paguei os meus impostos, nunca fugi ao fisco, desconto desde os 18 anos, nunca me encostei ao subsidio de desemprego, nunca tive a arrogância de me achar demasiado isto ou aquilo para fazer este ou aquele trabalho...
E só vejo merda à minha volta e estes montes de trampa que nunca tiveram que lutar na vida por coisa nenhuma, sempre viveram das cunhas e da guita dos papás a pedirem austeridade aos portugueses, sim a nós portugueses porque eles nem deste planeta são (cambada de alienados da realidade), quanto mais deste país...
Agora vão atacar os deficientes, sim claro, agora a culpa da crise é dos deficientes, eles que paguem...
E tudo para, uma vez mais, sucumbirem à sodomização da troika, essa cambada de nazis engravatados encabeçados por uma assexuada Angela Merkel que obviamente sofre de frigidez  e deve ter uma fotografia do cabrão do Hitler na banheira para brincar com o chuveiro enquanto olha para ele..
Não há vergonha, um pingo que seja?
Os politicos foram aumentados  em 81euros...
Têm ajudas de custo para tudo...

2 comentários:

Clarisse Silva disse...

Olá Inês,

Este grito de revolta é plenamente justificado com o momento que se vive em Portugal. Revolta tanta e tanta coisa que se vamos tentar compilar tudo, só nos deixa impregnados de cólera!
Mas, tentando ser mais racional do que emocional, poderemos verificar que o povo é que escolheu os seus governantes, e só ele tem o poder de mudar o rumo deste país.
Entendo, se entendo toda esta revolta!

Beijo.

Dianinha disse...

Dizes tudo em poucas palavras, tudo o que pensamos e por vezes não dizemos!