quarta-feira, 15 de agosto de 2012

"Ser mãe é pêra doce, mas temos que ter dentes fortes! " Cronica 12: "X-Women"

Agora que já se passaram 10 meses vou fazer um pequeno balanço, porque como mãe e como mulher, hoje, que já ultrapassei algumas etapas, sinto-me na obrigação de partilhar os meus medos e inseguranças até aqui, porque acho que é pela partilha que podemos alcançar algum conforto e tranquilidade.
Antes de ser mãe e apesar de sempre ter gostado muito de crianças e de me sentir lindamente na sua companhia sempre me questionei se me adaptaria a este papel convenientemente. No nosso dia-a-dia, mesmo sem crianças, parece que vivemos sempre com os minutos todos contados, presos nas nossas rotinas, horas de acordar, de chegar ao emprego, compras para fazer, casas para organizar, etc., muitas vezes mal temos tempo para nós próprios. Uma criança precisa de tempo, de muito tempo e a sua chegada gera apreensão neste campo, será que serei capaz de lhe dedicar todo o tempo que ela precisa e merece?
A minha resposta é:
-Esta organização do tempo, que consiste numa definição de prioridades, acontece naturalmente!
 Quando damos conta a nossa vida está novamente organizada, de repente a sopa deles está sempre feita, as horas de deitar deles são as nossas, o banho dá-se aquela hora todos os dias e ainda se arranja tempo para um passeiozinho diário! Somos muito mais adaptáveis do que nos julgamos capazes, esta é a verdade e um bebé é algo natural na nossa vida, por isso mesmo que não acreditemos (sobretudo em nós próprios) ou nos sintamos preparados, somos geneticamente capazes de viver em função deste maravilhoso novo ser e num abrir e fechar de olhos estamos completamente adaptados a esta nova realidade!
Ainda assim não deixa de ser um desafio e uma aventura e tem de haver muita vontade e paciência.
   Quando olho para as minhas amigas, que também já têm bebés mas que conheci solteirinhas e sem filhos, sorrio e penso:
Que mulheres fantásticas!
 Estas verdadeiras heroínas anónimas, num mundo que mal as reconhece, lutam todos os dias de alma e coração para adaptarem a sua vida de maneira a conseguirem, da melhor forma que lhes é possível, com os seus defeitos e virtudes, acompanhar os seus rebentos nos seus tenros passos, cheias de amor, coragem e vontade!
Também elas, como eu, como muitas outras mulheres, recearam não estar à altura ou não saberem adaptar o seu tempo. No entanto um dia acordaram e descobriram que agora era natural, que o novo membro da família estava perfeitamente  integrado na gestão do seu dia-a-dia e que já não sabem viver de outra forma, nem querem!
         Eu também tive vontade de trazer uma enfermeira para casa no dia que me deram alta da maternidade, dava cá um jeito, nós inexperientes, cansadíssimas e em restabelecimento do parto (que é igual, pelo menos a uma grande, grande tareia) cheias de pontos, às voltas com as mamas e com terror da morte súbita, sempre com receio de dormirmos um sono profundo demais e de não acordarmos logo mal eles precisem...
        Também desesperei com as cólicas e desejei, com toda a força do meu ser, que passassem para mim, mas não passaram...
    Também eu andei com um humor de cão, cheia de hormonas até aos olhos, senti-me feia, desgastada, exausta, sem tempo para tomar um banho relaxante, pintar as unhas, meter creme no corpo, comer tranquilamente... Muitas vezes senti-me insegura, desamparada, assustada e aproveitava para chorar pelos cantos enquanto ela dormia...
Mas hoje sei e partilho:
Tudo passa, as hormonas acalmam, a experiência adquire-se (mas todos os dias surgem novos e deliciosos desafios), a rotina renova-se e em pouco tempo tudo se torna natural, como deve ser!
Todas as mudanças assustam mas esta mudança que vira a nossa vida de pernas para o ar, revela-se maravilhosa, porque nos enriquece a cada segundo, nos torna mais fortes, desperta os nossos super-poderes, transforma-nos em heroínas, anónimas para o mundo, mas as preferidas dos nossos amores!

Nota: A minha pequenicas ainda mama, ainda dorme muitas vezes na minha cama, só adormece à noite na minha companhia... E eu adoro e não quero saber se outros bebés são diferentes, esta é a minha, é única é especial, é um mundo! Cada criança é única, não as comparem, não as pressionem,  têm muito tempo de aprender a ser competitivas... Ouçam-nas, amem-nas, respeitem-nas, elas têm um ritmo próprio, necessidades próprias, não as queiram todas iguais, elas não vieram de uma linha de montagem, vieram de vós, os pais delas também únicos e especiais!


Cronica 1 "Maminha minha melhor amiguinha!"
http://librisscriptaest.blogspot.com/2011/12/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html

Cronica 2 "Cócós uma paleta de cores!"
http://librisscriptaest.blogspot.com/2011/12/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter_13.html

Cronica 3 "Quando até o Exorcista tem graça..."
http://www.librisscriptaest.blogspot.com/2012/01/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html

Cronica 4 "A Bela Adormecida ou o Hobbit!"
http://librisscriptaest.blogspot.com/2012/01/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter_18.html

Cronica 5 "São dois cafés e um autocarro por favor!"
http://librisscriptaest.blogspot.com/2012/02/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html

Cronica 6 "Parto à la Carte!"
http://www.librisscriptaest.blogspot.com/2012/02/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter_17.html

Cronica 7 “Festival da Canção 2012”
http://librisscriptaest.blogspot.pt/2012/03/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html

Cronica 8  "Os avós no pais das maravilhas!"
http://librisscriptaest.blogspot.pt/2012_04_01_archive.html


Cronica 9 "Adios, adieu, auf wiedersehen, goodbye e depois do Adeus..."
http://www.librisscriptaest.blogspot.pt/2012/05/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html



Cronica 10 "A lebre e a tartaruga"
http://librisscriptaest.blogspot.pt/2012/06/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html



Cronica 11 "My precious..."
http://www.librisscriptaest.blogspot.pt/2012/07/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html


3 comentários:

Anónimo disse...

quando ela tiver 16 anos de idade ainda vai dormir na tua cama e adormecer ao teu colo...
e no dia que perder a virgindade...bem, nao comento XD

Mae babada :P

Rogério Paulo Peixoto disse...

Absolutamente genial...lol

Tio babado eu!

Inês Dunas disse...

Beijinhos meus queridos obrigada pelos miminhos e pela visita!
:)))))))))