terça-feira, 28 de agosto de 2012

Ama Dure Ser...

Existem palavras que morrem nos lábios que as beijam,
sílabas que sobejam em sentido, que ardem no fogo proibido do tempo...
E o alento parte para parte incerta...
Os actos são acções de inércia,
perdões mordidos, factos, padrões mecânicos...
E tornamos-nos números mecanográficos,
estatisticamente explicados por gráficos coloridos...
Porque nos cansámos de ser pessoas?
Porque nos cansámos de ser felizes?
Não compreendo o objectivo nocivo disto tudo...
Esta é a herança de desconfiança que legamos aos nossos filhos...
E tu? Não dizes nada que seja alguma coisa?
As crianças já não perguntam nada aos malmequeres...
E os pais só as querem astutas e com conversas adultas
porque sofreram sempre de ejaculações precoces...
As crianças já não se querem puras, nem doces...
Já não se querem crianças...
Porque os pais perderam as esperanças e as vontades
e estas idades assustam e questionam e fazem tremer e temer e querer...
Crescer...
CreSCER...
CRESCER até doer para se morrer todos os dias mais depressa...
E o tempo passa,
as palavras morrem
e as crianças sofrem...

Pobres adultos encolhidos, colhidos à pressa...



Sem comentários: