terça-feira, 5 de junho de 2012

Acidez...

A felicidade é um citrino servido em gomos,
escorre-nos pelos lábios se a mordemos
e mal mata a sede se a bebemos de um trago...
Eu hoje trago nas mãos os sorrisos todos,
estico-os como elásticos e faço de conta...
Danço no chão cheia de espinhos nos pés,
simulo prazer, simulo poder, simulo ser alguma coisa...
E uma a uma as pétalas da minha inocência caem no chão,
pisadas por mim, assim de uma forma tão dorida.
Já não tenho paciência para mais nada, porque é só o nada
que se debruça ao meu redor para me ver melhor...
Sou uma ferida tatuada por cima, um disfarce, um enlace da fraude,
uma mascara, um véu, um céu pintado num teto qualquer...
Apenas quero saber o que espero de mim mesma
e descobrir se valho a pena a descoberta de me abrir ao meio,
partir em gomos e oferecer-me aos outros.

Sem comentários: