quarta-feira, 2 de maio de 2012

Ser mãe é pêra doce mas temos que ter dentes fortes Crónica 9 "Adios, adieu, auf wiedersehen, goodbye, e depois do Adeus!"

E a minha pequenicas que já tem 6 meses, 7,500kg, 64cm e um dentinho a romper tem uma mamã que pertence, novamente, à classe trabalhadora (findo o tempo da licença de maternidade + férias...) e não sofreu nada com isso, já eu não posso dizer o mesmo... Para mim foi medonho, uma semana antes de começar a trabalhar já andava a choramingar pelos cantos com um sentimento de culpa maior que eu, só sentia que estava a abandonar a minha bebé e que ela não ia entender o porquê desta separação... :'(((
 Um mês e meio antes do deadline para o regresso, ela começou a estar todos os dias pelo menos uma hora, com a avó, na minha presença mas sem eu interferir (muito), durante esse tempo era a avó que a passeava no carrinho, lhe mudava a fralda, lhe dava a sopinha e até a embalava para adormecer, queria que ambas se sentissem o mais confiantes possíveis uma com a outra, porque iria chegar o dia em que eu não estaria lá para lhe pegar ao colo caso houvesse birras e afins! O plano correu muito bem, a Inês habituou-se rapidamente a ver a avó como uma terna cuidadora! Mas, ainda assim o primeiro dia foi um terror para mim, na noite anterior nem dormi, ficava feita idiota a olhar para ela e a olhar para o telemóvel a ver passarem as ultimas horas que sentenciavam o fim da exclusividade da Inês quanto à sua mamã e sentia-me a pior mãe do mundo...
Sabia que tinha pensado em tudo ao pormenor para o bem estar físico da Inês, até a redução da amamentação já tinha sido posta em prática, gradualmente, desde os 5 meses, primeiro introduzi a sopa ao almoço e 15 dias depois a sopa ao jantar, de forma a conseguir manter a amamentação apenas 4 vezes ao dia, correu tudo bem e continuo a amamentar a Inês, sem problemas e sem me explodirem as maminhas no emprego!!
Mas a parte emotiva temia que não fosse tão fácil de gerir e para mim, não foi, nem é...
A vida é deliciosa porém nem sempre é fácil! 
E assim chegou a celebre segunda-feira, 9 de Abril, o dia D (de Drama) depois da fantástica noite em claro, às 6h da manhã toca o despertador e eu já estava a amamentar a minha vampirinha da maminha desde as 5h50m, depois mudei-lhe a fraldoca, deixei-a dormir até as 7:00h, hora em que acendi o candeeiro de tecto para ela ir acordando devagarinho, e preparei-a para sairmos as duas de casa as 7h15m... :'(((
Prometi a mim mesma não chorar à frente dela, não queria enerva-la e cumpri (estou uma mulherzinha... LOL)
A minha mãe, eufórica e ansiosa, esperava por nós à porta do prédio!
Como combinado foi ela que tirou a Inês do ovo e ficou logo com ela ao colo, nesse momento (apesar de ter sido eu a estipular que assim fosse) senti um murro no estômago, tinha tanta vontade de a estrafegar com miminhos... Mas ela quando está no meu colo não quer passar para outro e assim nem chorou sequer, ficou a olhar para mim com aqueles olhos lindos, enormes e expressivos e sorriu enquanto eu a enchi de beijocas no colo da minha mãe, depois fiz-lhe adeus e mandei beijinhos uma serie de vezes (isto repete-se todos os dias) e ela ria-se, entendeu aquilo como mais uma brincadeira da mamã!!
E eu entrei no carro e pronto... O MUNDO ACABOU!!!
Chorei desde a casa da minha mãe até quase ao trabalho, depois fui ouvindo a rádio COMERCIAL e a RFM na esperança que as rubricas da manhã me arrancassem uns sorrisos...
Era mau chegar lá a chorar e cruzar-me com os colegas dos outros departamentos todos e ter de responder à pergunta que se adivinhava: -Então estás a chorar? O que é que se passou? 
  E pronto eu iria desatar a imitar as cataratas do Niágara e nem conseguiria articular palavra... (Já as colegas do meu departamento sabiam que eu iria estar assim, estilo flor murcha e corcomida pela intempérie, porque quando falámos ao telefone, antes do dia temido, até lhes sugeri que levassem umas galochas!!! Nota: As minhas meninas são umas fofas e encheram-me de miminhos e abracinhos porque sabiam que eu ia estar mais deprimida que o Bambi quando perdeu a mãe...)
Minutos antes de chegar ao destino, recompus-me, depois foi aguentar umas looooongaaaas 6h até voltar para casa, alimentando-me sofregamente com telefonemas de hora a hora para a minha mãe, onde descobri, estupefacta que a Inês estava fofa e radiante (fiquei aliviada mas ao mesmo tempo, egoistamente, surpreendida, achava que ela ia sentir muito a minha falta, cheguei a pensar:
-Será que ela não gosta assim tanto de mim???)
Mas a Inês é um bebé e não tem ainda bem a noção do tempo, para ela 1m ou 1h podem ser iguais depende apenas de sentir ou não as suas necessidades suprimidas).
Porém, quando a fui buscar, senti-me completamente recompensada, pediu logo o meu colo, agarrava-se a mim e ria-se às gargalhadas e depois começou logo à procura da sua melhor amiga... A maminha!!! E eu pensei:
Ooooohhhh!!!... A minha pequenicas teve saudades minhas e ama-me!!!! :)))))))))))
 E eu sou a mamã dela e não há trabalho, ou tempo de separação que possam interferir neste amor e pelo menos enquanto a maminha continuar a bombar, eu serei a pessoa mais importante do mundo para ela e o meu colo o seu maior conforto!!
 (Acho que a vou amamentar até aos 59 anos, pelo menos...)

  
Cronica 1 "Maminha minha melhor amiguinha!"
http://librisscriptaest.blogspot.com/2011/12/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html

Cronica 2 "Cócós uma paleta de cores!"
http://librisscriptaest.blogspot.com/2011/12/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter_13.html

Cronica 3 "Quando até o Exorcista tem graça..."
http://www.librisscriptaest.blogspot.com/2012/01/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html

Cronica 4 "A Bela Adormecida ou o Hobbit!"
http://librisscriptaest.blogspot.com/2012/01/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter_18.html

Cronica 5 "São dois cafés e um autocarro por favor!"
http://librisscriptaest.blogspot.com/2012/02/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html

Cronica 6 "Parto à la Carte!"
http://www.librisscriptaest.blogspot.com/2012/02/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter_17.html

Cronica 7 “Festival da Canção 2012”
http://librisscriptaest.blogspot.pt/2012/03/ser-mae-e-pera-doce-mas-temos-que-ter.html


Cronica 8  "Os avós no pais das maravilhas!"
http://librisscriptaest.blogspot.pt/2012_04_01_archive.html

Sem comentários: