quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

"Ser mãe é pêra doce, mas temos que ter dentes fortes" Crónica 1 "Maminha, minha melhor amiguinha!"

Resolvi começar a escrever esta crónica porque um dia a minha Inês, provavelmente, também será mãe e nessa altura eu, como avó, vou cometer imensos erros ao ter a mania que sei mais do que ela e enerva-la quase à loucura.
Nessa altura, eu espero bem, que ela me esfregue na cara isto que escrevi neste momento, para que eu me recorde dos meus medos e stresses quando ela apareceu na minha vida e a compreenda melhor!


É indescritível o prazer que eu vejo que a minha filhota tem, quando vê as maminhas, ri-se para elas e quando começa a mamar parece que o mundo à volta se torna mais pequeno e eu, quando a vejo tão feliz e tranquila sinto-me importante e melhor pessoa!
Mas convenhamos amamentar não é fácil!!!
Primeiro foram os mamilos gretados, eles são amorosos e nós amamos-os com a força toda da nossa alma mas caramba, tão pequeninos e parece que já trazem dentes naquelas gengivas pequenas e muito cor de rosa...
Antes da Inês nascer eu, para me precaver, besuntava os mamilos com uma pomada à base de lanolina, que hidrata os mamilos e é também reparadora, na esperança de nunca ter de passar por essa tortura...
Deve ter ajudado porque só tive os mamilos gretados, depois dela nascer, uma semana... Uma semana... 7 longos dias...
Ora nessa altura a minha vampirinha do leite, mamava mais ou menos de 2h/2h e nem sempre agarrava o mamilo à primeira... Ora quando temos os mamilos gretados, (ou seja feridos com sangue e tudo...)tudo o que queremos é que eles agarrem no mamilo de uma vez, enquanto nós pensamos em 34578964 mil asneiras cabeludas, porque aquilo dói como um raio... Se correr bem, ou seja se eles não perderem o mamilo, fizerem bem a pega, ou seja abocanharem a aureola da mama e tudo e não interromperem a mamada, ou resolverem adormecer a mamar e logo a seguir acordar e retomar, só dói p'ra aí uns 30 segundos (uns longooossss 30 segundos... que parece pouco, mas não é...)e depois passa, o resto até é gratificante porque dá gosto vê-los mamar! E quando eles terminam, nós pensamos só volto a passar por isto daqui a 2 horas...
O meu pior momento foi uma bela noite em que a vampirinha descobriu que a maminha também fazia de chuchinha e queria lá ficar, feliz e aconchegada! Ora eu no meu estado normal teria percebido isso, mas eu estava longe de estar no meu estado normal... Logo, quando a Inês não queria largar a mama e chorava desalmadamente se eu a tirava do peito, a minha conclusão foi:
Oh! Meu Deus o meu leite deve estar a enfraquecer, a bebé não fica satisfeita...
Resultado:
Eu a desesperar e a avó da Inês a dizer muda a menina de mama que já não deves ter leite nessa... (na Maternidade disseram para eu só dar uma mama de cada vez... Mas naquele momento qualquer ideia era bem-vinda...) E assim fiz e a Inês chuchava, irritava-se qd saía o leite (porque tinha a pancinha mais que cheia já e só queria brincar com o mamilo) e eu pensava, o leite está fraco de certeza, porque ela irrita-se ao mamar...
:((((((
Esta saga durou 4horas e eu com os mamilos gretados e completamente desfeita por pensar que ia deixar de conseguir amamentar a Inês...
A sorte:
:O)
No dia seguinte tinha, felizmente, de ir fazer o teste do pézinho ao centro de Saúde, a Sra. Enfermeira Paula, uma querida, a quem eu devia erguer uma estátua pela paciência, compreensão e sobretudo por não olhar para mim como se eu fosse uma idiota (o que não deixava de ser verdade...) deu-me colinho, tranquilizou-me e fez-me ver que afinal a Inês não tinha fome, era apenas bem mais esperta do que a mãe! (Ora se podia chuchar na maminha porque havia ela de querer chuchar num bocado de silicone que nem sequer pinga leitinho?!)
;)
Pesou a Inês e afinal a pobre bebé, mal alimentada, tinha aumentado 250g nessa semana...
:0)
E afinal devia continuar a dar só uma maminha em cada mamada, porque o leite materno primeiro sai mais aguado (essencial para hidratar o bebé) e depois sai mais espesso (mais gordo, essencial para alimentar o bebé)e se o trocarmos de mama, diminuímos o tempo de mamar em cada uma e corremos o risco de só o deixarmos beber o leite que sai primeiro de ambas as maminhas.
A Inês também aprendeu que a maminha não é chucha, lá teve que se contentar com o silicone para esses momentos, depois mudei para chuchas de látex e ela lá ficou mais convencida, gosta mais!
Mas a maminha continua a ser o seu verdadeiro amor!

6 comentários:

Anónimo disse...

HAAHAHAHAHAHAHAHAH

o que eu ri com isto ! LOOL
tens noção que a ines nao vai ler isto, apenas quando for mae, mas quando souber ler e compreender as coisas? OLOL

a ines vai rir rir rir rir e rirrrrr LOL
e depois vai pensar: eu tenho mesmo a melhor mae do Mundo ;)

bjs

(dany)

Sofia Vasconcelos disse...

Eu bem sei o que são essas dores, são horríveis!Quando chegava a altura de amamentar até transpirava. E o meu benny estava sempre tão sôfrego para mamar que me abocanhava com tanta força.Uma vez na maternidade uma enf.ª muito querida teve uma longa conversa comigo porque pensava que eu estava a rejeitar o bébé ao não querer dar-lhe mama, mas não!Eu adorava o meu filho, simplesmente tinha era receio de lhe aproximar a mama à boca porque as dores eram tantas...Como eu te percebo minha querida...Bjnh (sofy)

Sara Fragoso disse...

LOLOLOL

Ai fofa, realmente só tu mesmo! Vai contando aqui as tuas, ou melhor, as vossas peripécia, pq pelo que sei dão para rir bastante.

Ser mãe não deve ser nada fácil, mas deve ser a coisa mais gratificante do mundo, e tu mereces tudo de bom!! ;)

Beijinhos grandes nas duas giras! ;)

Anónimo disse...

Ai miga como te compreendo, não poderias ter dito da melhor forma, e posto as palavras na melhor ordem... Eu que trepei as paredes la de casa quando chegava a hora de mamar, que até me corria lágrimas em bica!! Estáva-me a ver nesses momentos enquanto lia e ria às gargalhadas! Eu dei mamoca até aos 5 meses e foi delicioso.
Outra coisa, ouve sempre a avó da Inês, ela tem quase sempre razão. A avó do Mateus também tinha quase sempre razão, e quase que a levei à loucura! Não és a unica mama a dizer que sabes tudo!! bjks aos 3 da Cláudia Baiao

Rogerio Peixoto disse...

Bom,
Na minha inexistente experiência, se pudesse pensar em dores de crescimento...Pensava em rabinhos vermelhos em carne viva, em dentes a nascêr e insónias mil, sei lá em mil e uma dezenas de coisas.
Mas confesso, que pensar em mamilos nunca me ocorrera? 30 segundos é realmente uma eternidade em algo tão sensível ( segundo elas me dizem) e tão desprotegido.

O drama dos mamilos é que não podem ser restaurados nem com Botox.

Eh pá isto dava um conto...A assentar ideia...podia ter como título algo sério, como a Dissertação dos mamilos, ou mais profundo...A marca da tua boca em mim....Humm, mamilos....Nunca pensei nisso...Pobre de minha mão, que se tinha o apetite ke tenho agora, deve ter sofrido a pacotes.

Mamã, desculpa...eu tava com fome nessa altura e não sabia que doía!

Já la diz a canção...quando eu era pequenino, acabado de nascêr....

RZorpa disse...

Absolutamente delicioso, mamã...
Quase um diário dos problemas que enfrenta uma mãe a perimeira vez...
Não só uma boa ideia, é uma obrigação de quem, como tu é lucida e se expressa com rara graciosidade, partilhares estes momentos que, estou certo, serão importantes para milhares de pré-mães.
Mantenho-me ansioso pelo desenrolar das "espertezas"da Inezita que, como verás, são imensas e quase diárias, nesta primeira fase da vida em que aprendem, aprendem, aprendem...E crescem, confrontando-te e até provocando-te. Tenho a certeza que te divertirás e nos divertirás, imenso! :))

Beijo!