quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Arco-Iris...

É simples dizer-te que te amo,
e é tão fácil concretizar este sentimento
a cada instante...
Amo-te muito mais e muito além de mim
e beijo as mãos das dores que te trouxeram
numa gratidão sôfrega...
Existem cores por descobrir no teu sorriso,
tons que ninguém baptizou, ainda,
mas que perfumam o teu semblante...
Sento-me diante do teu tenro percurso,
espectadora de uma curta metragem deliciosa,
à espera das sequelas todas, orgulhosa de mim própria!
Cada desenvolvimento é um alento novo,
um carro de gelados cheio de sabores inesperados!
Cada dia uma alegria melhor do que a anterior,
onde conquisto a tranquilidade que me faltou sempre
e me disto dos fantasmas que me assombraram tanto tempo...
Chamar-te amor até me sabe a pouco,
porque já chamei tantos amores desta forma
e tu superaste tudo e todos...
Talvez o incondicional tenha sido inventado para ti,
para te fazer justiça como mereces!
Olho-te, enterneço-me, esqueço-me dos cinzentos
e dos dias de chuva e tu simplesmente,
adormeces no meu colo, numa inocência mais sábia que tudo...
Trouxe-te ao mundo e tu trouxeste-me o mundo todo
num sorriso,
nesse riso que arriscas cheio de cores por inventar,
cores sem nome, tão tuas,
que me pincelam as ruas da esperança!

Sem comentários: