terça-feira, 25 de outubro de 2011

E o meu legado poderia bem ser este...

Se um dia a minha voz soprar além de mim e trouxer o eco daquilo que fui, quero que deixe um sorriso sempre que pousar nos ombros de alguém... Não desejo ser intemporal, memorável ou irrepetível... Basta-me ser como a brisa, que passa e agita, levemente, o cabelo dos amantes e refresca e conforta mesmo que nem notemos a sua presença!"
(Inês Dunas)