terça-feira, 14 de junho de 2011

Desperta(dor)...

Larga a minha mão,
desprende-te,
deslaça-te,
desAbraça-te de mim...
Vira a página, arranca a folha,
a escolha foi tua, crua e simples.
Os nossos dedos já não são
uma parte da mesma mão,
seguiram tactos diferentes...
Vira as costas,
segue em frente,
desaparece na multidão...
Dissipa o sabor do nosso Amor na boca,
esquece,
tudo é efémero e mais pequeno do que parece...
A entrega é relativa e mortal,
como nós,
afinal...
Nada dura para sempre,
nem a amargura...
Não olhes para trás porque eu já lá não estou
e o passado nem sequer existiu...
Fugiu ou desistiu de nós,
com o timbre da tua voz,
sem eco...
Amarás outra vez e talvez muito mais,
eu sei que sou capaz...
Somos leitos feitos para amar...
Faz de conta que foi um sonho,
que o despertador da dor, tocou
e que tivemos de acordar...

Sem comentários: