sábado, 19 de fevereiro de 2011

...

Se coubessem em mim todos os segredos do mundo, todos os mistérios profundos do universo, toda a grandiosidade que nos torna efemeramente imortais e minuciosamente invisíveis... Se coubessem em mim todos os sentimentos dos homens, todos os afectos, todos os sorrisos e o sal de todas as lágrimas... Se coubessem em mim todas as respostas e todas as questões e todas as angustias e todas as alegrias que nos lavam os olhos e nos enchem a alma...
Talvez possuísse a humildade necessária para poder definir o amor, sem me esquecer de nenhum detalhe...

Sem comentários: