sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Lágrimas estéreis...

Se eu pudesse pintar um mundo mais simples, onde tu e eu fossemos donas dos nossos sonhos e maestras das nossas orquestras, juro-te todas as telas virgens teriam pinceladas nossas!
Se pudesse erradicar a dor e todas as cores partidárias associadas, maquilhava as nossas faces de felicidades solidarias e humildes, que na sua pureza concretizam mais, do que mil conquistas fúteis...
Pergunto-me muitas vezes porque teimamos em tentar trazer um pouco de nós ao mundo?
Se todos os dias existem sombras nossas que se espraiam nos corredores da vida e deixam sombreados nos outros, enquanto permanecemos pálidas e tracejadas e continuamos inacabadas...
Onde se esconde o traço que queremos traçar?
Será soberba nossa desejar deixar um legado abençoado neste mundo desabitado há tanto tempo?
Neste momento choro, ao olhar a mesma lua da dor que é tua, esta noite...
Nas costas jaz o mesmo açoite que te roubou o riso e o levou para longe...
Hoje somos mais que amigas, somos aquilo que fomos e aquilo que seremos depois do agora...
Dizem que chorar faz bem,
por isso, hoje, descansa e chora...
Seca-me os olhos que eu seco os teus com os meus...
Da-me a mão neste chão de ninguém, que implora por caminhantes...
Nada será como antes, porque o antes nunca se repete...
Sim tudo melhora...
Mas apenas porque não podemos chorar todos os dias...
Adormecemos de cansaço, sem nada nos braços,
porque as nossas lágrimas já nascem vazias...

2 comentários:

Dany Filipa disse...

muito sentido
e até mt terno
e apesar de triste, com a sua marca de força...

"Dizem que chorar faz bem,
por isso, hoje, descansa e chora..."

"Nada será como antes, porque o antes nunca se repete...
Sim tudo melhora..."

AMEI!!!

Clarisse Silva disse...

Chorar faz bem sim, principalmente quando o alivio chega quando as lágrimas se secam... assim o deverá ser sempre...
Um texto repleto de significado!
Saudações,
Clarisse