quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Innuendo...

Já não tenho segredos, nem parábolas,
nem historias...
A minha vida é um livro de folhas espalhadas,
onde as memorias voam soltas
numa liberdade desmedida...
Nunca fui de guardar recordações,
mas vesti as emoções todas
em cada dia da minha vida...
Amei, fui amada,
magoei, fui magoada
talvez tenha odiado um dia ou outro,
mas ri alto noutros tantos!
Se morresse amanhã não lamentaria nada,
porque sempre dei tudo
sem esperar muito em troca
e assim, não tenho agiotas
à minha porta...
Olhei sempre nos olhos das pedras do meu caminho
e algumas carreguei no colo tempo demais,
acho que até me esquecia que as levava
e elas deixavam de me pesar...
Nunca sofri de mais,
ou de menos,
mas sofri...
E aprendi que o sofrimento
ajuda a crescer...
Chorei muitas vezes
mas podia ter chorado muitas mais,
por isso tive sorte!
A morte não me assusta,
porque vivi!
E só tem medo de morrer
quem nunca ousou viver...

1 comentário:

Dany Filipa disse...

poesia,
bela,
verdadeira
positiva
e
sentida!!!

É sempre bom te ler :-)

beijokas