terça-feira, 17 de agosto de 2010

Dó... Ré... Mim...

Já não existem flautas no meu olhar de violinos...
A musica partiu e deixou o roupeiro vazio,
anos e anos de vida em comum e agora parte,
sem se despedir...
Gostava de a ouvir dentro de mim,
uma vez mais, no seu tom de som desafinado...
Mas há um maestro cansado que envelhece
e se esquece das partituras...
Não há sinfonias de caos,
nem melodias melodramáticas,
nem revoltas estáticas em greves breves...
Apenas um duro e surdo silencio imenso
dentro de tudo aquilo de mim
que era uma orquestra...
Nem dó, nem sol, nem lá...
Aqui, apenas a escuridão indolor do silêncio.

1 comentário:

danyfilipa disse...

como pedido
ai vai
http://www.youtube.com/watch?v=qjo3YJOQpII

ahahaaha
lol

brincadeiras à parte
sempre bom te ler, apesar de triste :-)

beijoka big big big big big em ti