sábado, 3 de outubro de 2009

Brancas...

Os olhos tentavam, em vão, conseguir identificar as moedas na carteira,
começou a respirar mais depressa,
sentiu-se impotente e confusa...
Não percebia o valor de cada moeda na mão,
atirou a carteira ao chão assustada e começou a chorar...
A rapariga q a atendia percebeu,
mas fingiu não entender o q se estava a passar...
Não a quis enervar mais, nem humilhar...
Apanhou a carteira do chão e contou-lhe as moedas devagar,
evitando-lhe o olhar...
Ela sentia-se tão envergonhada, por estar a chorar...
Toda ela tremia,
o terror de esquecer o nome,
a sua historia de vida,
a identidade
e o amor que tinha a toda a gente que lhe era querida...
Se acordasse amanha e tudo lhe fosse estranho?
Estaria a acontecer?
Estaria a perder a memória?
Sabia q estava doente e a idade avançada não a ajudava...
O coração ardia-lhe como estanho em brasa...
E se nem soubesse voltar para casa?
A rapariga saiu de trás do balcão
e meteu-lhe com calma, o troco na mão...
De repente começou a lembrar-se do valor justo de cada moeda...
Respirou fundo...
Fora só um susto?
Um momento de terror?
Um segundo de aflição?
O q interessa é q ja passou...

Sem comentários: